quinta-feira, 20 de março de 2014

Despedida


esse perder-se
esse trancar-se
esse em-si-mesmo

sem idas nem vindas
depois da despedida

a mágoa desgraçada
a realidade renegada

Mas o que foi
novamente será;

viemos para andar

ordenados a sentir
até a sombra sumir

inundar a vista
desabar o tormento:

o ardor da vida
é iminente

(cicatriza a pele
retoma a corrente)

consentimento
que a carne impele.


Raquel Abrantes

Um comentário:

  1. Muito bom o seu blogue!! Amo e escrevo poemas e/ou poesias. Vou deixar uma similar a esta sua, de minha autoria:

    Partindo

    Quando você partir
    ao me avisar da sua partida,
    Ainda estarei aqui,
    partido.

    Em contrapartida,
    compartido.
    Parte ido, parte indo.

    (sem pestanejar)

    à procura da felicidade
    que se renova e se espera

    Adriano Vox
    Fonte: http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/4797081

    Siga-me também no meu atual blog> http://theroadtravelingphoto.blogspot.com.br/

    Valeu!

    ResponderExcluir