domingo, 21 de outubro de 2012

Raiar


o dia me chamou
com seu primeiro raio de sol
e não pude resistir ao seu encontro
livre leve solto
na luz no ar no mar
que bela visão do Rio de Janeiro
que tenho o ano inteiro
trouxe paz e alegria
a um coração alheio
ao vento ao tempo ao momento

caminhar na areia
como uma sereia
que acabou de ganhar as próprias pernas
arranhando a sola dos pés animados
que trouxeram consigo
grão a grão
no trajeto conhecido
pelo chão vivido
em busca de um jardim
ainda não amanhecido

faltaram as rosas
mesmo com seus espinhos
bem-vindos
como a dor que os olhos sentem
ao abrirem-se para um novo dia

as pessoas da mesma via
sempre têm algo a nos dar
nem que seja um olhar, um olá
uma troca de palavras para começar
a rotina que se repete
com sua formosura peculiar

e a senhora que passou do meu lado
puxou conversa, de bom grado
vendia pano bordado
me encantei e parei
a simplicidade de seu jeito
me causou um efeito
e até seu telefone peguei.

a moça com o cachorro que nada via 
que apenas de carinho precisa, repetia
e continuei a contemplar o mar
belo e triste pelo cedo despovoar
que logo foi preenchido 
pelas vidas que acordaram
para caminhar. 


Raquel Abrantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário