quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Onipotente


Agradeço não só pela comida
mas também pela vida
pela família
de sangue, de carne, de osso
de alegria, de desgosto
porque tudo anda na mesma via
e juntos buscamos a harmonia
nesta transferência de paz
de calor, de amor capaz 
de ser presente na dor
que leva, traz, transforma
cria uma família nova
cedo ou mesmo tardia
que se revela na poesia


Raquel Abrantes

2 comentários: