sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Excrescência


Essa abstinência de contato
com o que existe
com o que resiste
com o que persiste
nesta altivez despropositada

essa relutância em ver
que sozinho nada se faz
de nada se é capaz

porque viver é depender
do carteiro que traz as encomendas
do porteiro que recebe os pacotes
das pessoas que os enviam 

do motorista que leva pessoas a seus destinos
do trocador de ônibus que vende a passagem
do passante que informa um trajeto qualquer

mas este olhar 
com soberbana vigilância!
ha ha ha, rindo à toa
achando que tudo pode
aonde foi amarrar seu bode?

afinal
do início ao final
deus criou os homens
para um propósito 
natal
fatal
entre gargalhadas
e trapalhadas
neste alheamento
arrogante
que um dia aprende
a deixar de ser 
seu próprio rival
nesta espiral
da vida
que respira
que espirra.

É um atrevimento ignorar o vizinho!
esse orgulho é um entulho 
é um disparate, basta!
de viver na excrescência
audiovisual da autossuficiência.


Raquel Abrantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário