domingo, 20 de fevereiro de 2011

.
momentos se instalam na memória,
esquecida de motivos neste lugar
que noutros tempos soavam pertinentes
à luz daquela manhã já escurecida.

a incerteza recobra os sentidos
e os sonhos desta noite
nada dizem de amanhã...

o sono suaviza a beleza
de um luar não visto
um luar insignificante
para este corpo cansado,
livre da agonia de existir
na claridade das horas inventivas.

Horizonte é o que os olhos alcançam;
efêmero ponto de vista
de plena significação.


Raquel Abrantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário