terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Bravatas

Castigue. Castigue quem demanda. Punição! Maus tratos para os loucos que querem mais do ser. Que despeito! Como pode alguém cobrar-me ser além, mais do que tenho a ofertar? E quando secar a fonte da vontade, que não me venha exigir complacência naquilo que dispõe-se a si mesmo.

Prenda! Prisão para os lunáticos da soberba. Que fiquem entre barras para provar a imagem fétida da solidão. A solidão em si mesmos. Fanáticos que exercem o poder do sentir sobre outrem. O poder de exigir mais a cada recusa sua própria.

Descaso. Ignore o que te enerva. É caso deste que falta o esquecimento e sobrepõem-se as lembranças. Exatos momentos de dor e ira trocados pelo não pensar. O vazio das possibilidades mais atraentes em vez das pesadas torturas do que já foi.

Desvie, sim, indivíduo! Desvie das pessoas tortas, entortadas pelo mundo, por sua visão produzida e falsificada. Mantenha distância dos seres ideológicos! Pessoas confusas estas que insistem em defender uma causa. Atordoada é a alma dos convictos.

Nenhuma verdade deve ser perdoada. Que as várias versões falem por si mesmas.

Abandone o apego pela alma alheia. Desprenda-se da posse concreta e aceite a conquista de fato do discernimento. Seja! Exista! Realize a existência do outro em si mesmo e na transferência de tudo o que acrescenta. Viva! E morra.

2 comentários:

  1. Dobrada á moda do Porto

    "...um dia num restaurante
    serviram-me o amor
    como dobrada fria..."

    para ti...pelo prazer do teu...

    "Prenda ! Prisão para os lunáticos da soberba..."

    Rosa de Santa Isabel
    http://saboresdedocesedelivros-sabores.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Você deixou um scrap no meu orkut, depois apagou... quando eu fui responder, não estava mais lá...

    ResponderExcluir