quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Tasco

Algo do que era seu
foi passado a mim
sem querer me deu
e você tirou, assim,
coisas que gostou
do nosso conviver;
o tempo que passou
e mudou o seu ser

não só de você;
de todos eu levo
um tasco de querer
que comigo carrego
algum novo gosto
um cheiro, uma cor
sempre fica conosco
do tamanho que for

e a cada pedaço
que vou juntando
modifico meu traço
aumento meu ganho
pois o que acabou
deixou um bilhete,
que impressionou,
marca de estilete. 


Raquel Abrantes

2 comentários:

  1. Muito legal Raquel...tem um lirismo objetivo e cativante...Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Mauricio. Que bom que gostou. Volte sempre!

      Excluir