quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Utensílio


A incapacidade motora
a qual nosso corpo nos impele
ao longo de toda a vida
nos lembra o pequeno utensílio
que somos na passagem

dependemos da engrenagem
que a cada tanto
vai nos surpreendendo
nos deixando sem saber
se o andar até a praia
será prazeroso
ou doloroso
se o dia de trabalho
trará o comum cansaço
ou nos deixará um bagaço
são tantos planos
tantos que deixamos

Pagamos um pedágio
somos multados pelo uso
abusivo do motor
que nos aventa
e sabemos apenas
por onde rodamos hoje

Entre as revisões
de nosso corpo-máquina
tentamos prolongar
o tempo útil do aparelho
trocamos uma peça
recauchutamos o desgaste

e o corpo lutando
contra o tempo
que tem e que não tem
infestado de desafios
para utilizar ao máximo
e com movimentos sagazes
os propósitos da mente
transferidos aos filhos
inevitavelmente.


Raquel Abrantes

2 comentários:

  1. A sua poesia nos leva a mundos internos e intensos e esta em especial nos dá uma alerta sobre o cuidado que devemos ter com a máquina que abriga nossa alma. Serei sua seguidora'sua poesia tem o poder de mover...Neli

    ResponderExcluir