terça-feira, 27 de março de 2012

Por Polly Di*

Quando volto dos pulos e dos passos.
Ah! crescida das pernas
Destampada das pernas
Sem saia que dê.

Do que é ponto e já virou samba
para o outro demora.
para o outro urgência por resposta.
para o outro desconforto.

Incabedura que extrapola em perna.
que dança doçuras, suores.
Incabe eu em suas vergonhas
e minhas pernas nas suas.


*Outros textos da escritora em http://osenhortolere.blogspot.com.br/

Um comentário:

  1. Polly, adorei a poesia. Tropecei nas suas pernas... :)

    Beijos e obrigada pela participação!

    ResponderExcluir