domingo, 25 de março de 2012

.

dois marcos
                    flocos
                              neves


Raquel Abrantes

Um comentário:

  1. Marcos Eduardo Nevesdomingo, 25 março, 2012

    Ao deixar que se caia o véu
    Para que o resto se veja adiante
    Nessa vida, nesse carrossel,
    Vão-se amores, ficam-se os amantes
    Nessa lua que brilha no céu
    Num princípio que se faz errante
    Sente-se bem o gosto do mel
    Que embriaga e nos faz delirantes
    E esse gosto muito tem do fel
    Do silêncio para que tu cantes
    Uma dor que se cura em gel
    Só não cura os principiantes
    Hoje escrevo não mais em papel
    A história que se ruma avante
    De um enredo no qual não se tem réu
    Porta cerrada que alguém abre antes
    E uma menina chamada Raquel
    Única e eterna, minha Raquel Abrantes

    ResponderExcluir