segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Quando o pensamento fica no canto

Hoje recebi um comentário anônimo dizendo que um blog estava copiando os meus textos e assumindo a autoria dos mesmos. Primeiro, fiquei chocada com a falta de vergonha de alguém que publica o meu texto três dias depois de mim. Então, fiquei indignada pela ausência de ética. Mas, no final das contas, eu tive pena. Tive pena desses dois, Thiago e Pingo, que assinavam o blog O Canto do Pensamento, por sua total inabilidade para a escrita. Deixaram o pensamento em algum canto, porque pensar não é para qualquer um, e percorrem a blogosfera atrás de rabiscos sinceros, com algum valor, para substituir suas incompetências existenciais. Aliás, o blog deles deveria se chamar O Canto do Pensamento DOS OUTROS. Eles gostaram tanto da Pura Essência do Ser que esqueceram de “ser”, criando um blog de mera reprodução. Ao descobrir a infração de direitos autorais (denunciada pela própria data de postagem), deixei comentários para os donos do blog e para todos os leitores deles. Cuidado! Você pode estar sendo copiado! Com o protesto de alguns amigos também, os meus três textos foram deletados de lá... E o tal do Pingo chegou a postar um comentário por aqui, pedindo para eu não ficar chateada com o uso dos meus posts, que faria parte do projeto do blog publicar textos de outros. Acredito que a permissão do autor deva ser concedida, assim como o crédito, se fosse realmente o caso.
E aí? Esse post aqui vocês vão reproduzir? Não vão, não... acabaram de deletar o blog...


Raquel Abrantes

6 comentários:

  1. Qto tempo não passo por aqui e qdo venho o que vejo? Um pensamento que fica no canto.

    Pensando bem no cantinho, pelas beradas pensei que estava pensando assim:

    Quem conta um conto aumenta um ponto!
    Quem canta encanta!
    Quem copia, não cria!

    Ah garota! Arrasou! Já está até sendo copiada.
    Vc até deu um nome melhor para o blog dos mocinhos da xerox "O Canto do Pensamento DOS OUTROS". Posso copiar esse nome?
    Hehehehehehe


    tá dito!

    Bjs
    Rick

    ResponderExcluir
  2. Oi, Raquel!
    Devia haver um insecticida informático para se poder varrer da blogosfera gente como essa, sem vergonha e desprovida de ética. Thiagos e Pingos há-os por aí, incapazes de lerem e aprenderem com quem sabe, de adquirirem o conhecimento capaz de os pôr a pensar. Não passam de calhaus com olhos! Já me aconteceu o mesmo - posts inteiros plagiados, roubados (é o termo) e colocados em páginas pessoais. Você ainda teve pena (para quê tanta nobreza?), eu não...
    Um abraço solidário daqui

    ResponderExcluir
  3. Desculpe, Raquel, foi um mau entendido, então. Realmente, fui olhar esse blog no google e apareceu como fechado. Essa gente que copia é o ó! E que haja espaço pra nós! :)

    ResponderExcluir
  4. Abrantes, ponha uma licença creative commons no seu blog: www.creativecommons.org.br
    Não custa nada e garante os seus direito de autora. :)
    Quem diria que umas das pi-pus seria tão sensível ao escrever.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu acho que o Anônimo não vai ler este comentário, mas só para registrar: o direito de autor está garantido independente de uma licença creative commons. O barato do creative commons é a ideia do "copyleft"; é o autor poder dizer que permite que sua obra seja reproduzida (comercialmente ou não) e até mesmo alterada, dependendo da licença. Se a moça não especificou nenhum tipo de licença, ela não está permitindo a cópia, ou seja, não abre mão de seu "copyright". Não é porque a Internet dá livre acesso (de leitura) que se pode sair copiando as obras dos outros por aí sem autorização prévia. De mais a mais, copiar os outros sem nem sequer citar a fonte é mais do que mero desconhecimento: é falta de bom-senso (se não for mau-caratismo mesmo).

    ResponderExcluir
  6. e o blog voltou!
    afe...

    ResponderExcluir