terça-feira, 4 de janeiro de 2011

.

a estranheza de uma dor perdida
assim levada como o tempo
é percebida no momento
em que deveria ser sentida.


Raquel Abrantes